Fim de ano?!???!

Tanta coisa começou a acontecer neste fim de ano que parece mais um início de ano. Espero que em 2011 consiga respirar. Ok, ok! a virada do ano astrológico é em março…

Olha aí meu animal de poder, o estado que ele tá… força bichano!!!

Anúncios

Ideias do que escrever

Ainda vou  escrever sobre:

– “A difícil (ou complexa?!) arte de conviver comigo mesma”

– “Era uma vez um site de relacionamentos chamado Orkut”

– “Saudade do que ainda não aconteceu…”

É sério! tudo isso muito sério…

Descobrindo a “brasilidade”

Algo muito curioso que aconteceu no primeiro semestre do ano foi me dar conta da minha “brasilidade”. Isso já começou há tempos, quando passei a escutar mais MPB, até que comecei a questionar por que na casa dos meus pais não tínhamos o costume ou não éramos incentivados a escutar este tipo de música. Prestando mais atenção nas letras, tudo ficou claro: em uma família de luteranos (evangélico “alemão”) não tem espaço para letras e ritmos que façam referência à cultura afro, indígena e afins.  Até pouco tempo atrás, nunca havia ouvido falar de Clara Nunes… descobri agora as músicas do Zeca Pagodinho sobre orixás… o único que escutávamos era Toquinho e Vinícius: ” meu Pai Oxalá… ” e “Canto de Ossanhe” por fazer parte do Cd que tem outras músicas clássicas.

Estive em São Luiz do  Maranhão, em março e lá tomei um banho de cultura brasileira. Aí no curso de pós-graduação, a professora Cládis Junqueira (tem 82 anos!) colocou a maior pilha pra lermos mais sobre a história do Brasil, sabermos o porquê das coisas serem hoje de tal forma. Indicou “Raízes do Brasil”, do Sérgio Buarque de Holanda, entre tantos outros livros. Ahhh!!! delícia!!!

Tá sendo uma libertação me sentir verdadeiramente brasileira. O rótulo “alemoa” não me serve mais.  Óbvio que essa cultura também faz parte da minha história de vida, da minha ancestralidade, mas isto é somente uma parte de quem eu sou. E sou muito mais: brasileira, cidadã deste mundão azul!

Saindo do silêncio necessário

Estou saindo de um período de profundo silêncio. Não foi falta de tempo para escrever aqui, assunto e idéias é o que mais tinha, só que como relatei no último post, meus neurônios estavam refazendo as suas ligações e simplesmente eu não conseguia escrever coisa com coisa nos últimos meses. Foi necessário parar, limpar a mente também. Só consegui fazer o estritamente necessário para trabalhar e estudar. Até isso precisei da orientação de uma Psicopedagoga. E… uhuuu!!! (suspiro de alívio) completando 5 meses sem fumar, sinto que estou começando a ter uma vida “mais normal”, embora que sem cigarro tudo é muito diferente!!!

Para marcar o começo do meu retorno, apresento o meu novo blog “Deixa Fluir” sobre Reiki, Geobiologia e outros assuntos nessa linha. Confiram http://deixandofluir.wordpress.com/ .

Reequilibrando o sistema

No dia 24 de março deste ano parei de fumar.

Desta vez não foi um “vou tentar e ver quanto tempo consigo ficar assim”. Definitivamente me tornei uma ex-fumante.

Pouco mais de dois meses se passaram e agora estou saindo do silêncio, rompendo o casulo desta transformação, sentindo os ares da renovação. O sistema corpo-mente-emoções-espírito se reequilibrando e se adaptando à nova vida. É uma maré de novos estímulos, trazidos às células pelo oxigênio que, depois de 14 anos pode voltar a trazer a energia vital ao meu corpo. Sinto cheiros e fragâncias que passavam despercebidas ou distorcidas, assim como as frequências e vibrações que estavam sobre a cortina de fumaça.

VIVA A CURA!  VIVA A VIDA!

…e sigo trilhando meu caminho na luz, sendo uma eterna aprendiz da Mãe Natureza e do Pai Celestial…

2010 com Paz, Força e Alegria

E a nova década entrou estremecendo com a luz do arco íris e a força do mar!!! até o visual do blog resolvi mudar, agora com ondas coloridas para ficar no espírito desse ano.

Foi um imenso privilégio entrar 2010 na sintonia de “Paz, Força e Alegria” da Marcha Mundial pela Paz e Não Violência que passou por Porto Alegre, no Natal. Não foi possível seguir viagem com a equipe base internacional para Punta del Vacas, em Mendoza, mas a vivência que tive com estas pessoas durante os três dias que estiveram pelos pampas e todo o trabalho realizado durante o ano, foi um marco na minha história com os “movimentos do bem”. 

Esse vídeo foi produzido pelo Tommaso, italiano, cinegrafista oficial da equipe internacional que fez a proeza de transformar horas de gravação em uma edição de 2 minutos! se prestarem bem atenção vão me ver aí!

Dona das Tempestades

Anunciem minha passagem!

Raio, relâmpago e trovão…

Sou  nuvem densa

Trazendo  ventos e chuvas

O furacão em sua vida!

Limpando a terra de toda a destruição.

Carrego a nova semente

Para ser gerada no devido lugar.

Sou dona das tempestades,

Renovando tudo que há.

Água que cai

E tudo faz brotar,

Luz na escuridão

É o poder dos céus

Lá do alto giro, giro…

Mostrando as forças da natureza

Acima de tudo que o homem construiu.

Depois que passo,

com minha exuberante beleza,

Abro caminho para o sol

E tudo recomeçar.

Lísia, novembro de 2009, após um temporal em Porto Alegre.

Paranóica?!

Em 2009 mergulhei de cabeça dentro de mim pra resolver em definitivo questões que sempre me incomodaram. Caminhei por trilhas nunca antes exploradas, subi montanhas, passei por vales, escorreguei nas pedras, corri pelas planícies, descansei na sombra das árvores, encontrei forças na tranquilidade dos riachos… E na prática, uma prova em cima da outra, atestando as aprendizagens dos últimos anos.

E aí, pra completar este ano, em meio a uma piada sou chamada de paranóica… e eu ri!!! que pérola!

Eu ri, assumi minha “nóia” e ganhei uma preciosa chave para libertação de um bloqueio que até então não tinha a mínima noção qual era o “x” da questão. É, pra mim ficou comprovado: assumir as neuroses é um bom remédio. Por enquanto vou continuar seguindo a linha de Reich, mas agora através da vivência e estudo da Biodança.

E, enquanto não encontrar outro conceito, ainda prefiro ser considerada  “anarquista do bem” ou “da nova era”…

2009! obrigada por tudooo!!!

Iupiii!!! Dia perfeito pra voltar a postar! consegui organizar um tempo e até o clima mais ameno está colaborando, muuito diferente do calor absurdo de dias atrás.  Bah! pela data do último post dá pra ter uma noção que a finaleira de 2009 foi super intensa! e da mesma forma este início de ano! e tem uma quantidade legal de coisinhas pra publicar aqui.

A primeira é o vídeo aí em baixo, com uma música do Zeca Pagodinho que expressa a imensa gratidão que tenho ao universo por tudo que  aconteceu em 2009. Conheci essa música nesta primeira semana de janeiro e tive a imprensão que ela foi escrita por mim para todas as pessoas que vem acompanhado minha caminhada nos últimos anos. Não vou citar nomes, cada um tem o seu lugar especial no meu coração. Obrigada por tudo sempre!!!

O que me ensinaram

* O texto a seguir foi escrito em setembro deste ano, como “trabalho de conclusão” do curso de Formação Humana, realizado desdefhLogo o mês de abril, com o terapeuta Rodrigo Silva (www.formaçãohumana.com.br) a quem agradeço de coração pelas portas de auto-conhecimento que me auxiliou a abrir. No final do texto está um vídeo muuuiiitooo bacana sobre este trabalho. Me encontrem lá!

Com a perspectiva de que “o que me ensinaram” está no contexto de uma “capacitação” para o que estou hoje vivendo, e com o apoio do livro “Mulheres que Correm com os Lobos” e “A Deusa Interior”, visualizo várias etapas de ensinamentos que foram sendo transmitidos segundo meu desenvolvimento natural como ser humano, vivência, apropriação e amadurecimento destes conhecimentos. Assim, inicio por relatar o sentimento que carrego, desde a infância, de ser alguém muito especial. E neste momento isso vem através da recordação do conteúdo de um “livro” que escrevi por volta dos 10 anos de idade, agora numa releitura adulta.

Me ensinaram que trazia dentro de mim uma missão importante para as pessoas ao meu redor, para o planeta terra e o universo, que envolvia a união de povos, de libertação, trazendo paz. Mas haveria o momento apropriado para isso, só poderia começar a ser realizada quando crescesse, quando atingisse a maturidade de certos conhecimentos, na idade adulta. Enquanto isso, eu precisava manter em segredo este “ser especial”, pois representava uma ameaça para muitas pessoas, inclusive minha família terrena que, apesar de aceitar me acolher, oportunizando todo o sustento básico para viver e me desenvolver, não teria condições de lidar com a minha constituição psíquica diferenciada. Foi então que me ensinaram a me proteger, a me fechar para as sensações do mundo exterior, vivendo e explorando o meu interior, para defender “com unhas e dentes” o meu ser. Isto trouxe um grande sofrimento e assim me ensinaram a chorar muito para aliviar esta carga, a não expressar meus reais sentimentos, o que enxergava e ouvia, até porque não iriam compreender mesmo.

Afim de recuperar as forças, aliviar toda a tensão envolvida nestes processos e não perder o propósito da alma, me ensinaram a ter momentos de profundo isolamento para me organizar, reequilibrar emocional e mentalmente. Também a buscar atividades que me distraíssem ou me ensinassem a viver com o que estava passando, junto a grupos de pessoas que estivessem na minha sintonia. Assim, me ensinaram a me esconder atrás de um uniforme, de uma causa e de uma religião. E foi muito necessário para meu crescimento, pois me ensinaram a conviver em grupo, me relacionar com as diferenças, viver de forma lúdica, valorizar o contato com a natureza, adquirir senso desem+t%C3%ADtulo organização e disciplina, trabalhar em prol do bem comum, servir o próximo e desenvolver atitudes de liderança.

Percebo também que me ensinaram a me entregar ao mundo da ilusão, da superficialidade, do entorpecimento e cegueira da alma para sentir, vivenciar profundamente as mais diversas formas de domínio e controle sobre um ser humano. A partir daí começaram a me ensinar a buscar os meios, ferramentas e modos para se libertar disso tudo.

Especialmente me ensinaram que para alcançar a luz, retornar ao meu verdadeiro ser, é preciso mergulhar fundo no mundo e na alma, passando por toda escuridão da sombra, para lá encontrar o conhecimento que mostra o caminho iniciático para atravessar os mais altos portais que levam à essência divina.

Da falta de confiança nas pessoas e nas situações da vida que se apresentavam, me ensinaram a enxergar muito além das aparências, a perceber a essência de tudo que estava envolvido, a ouvir as mensagens mais sutis por trás de cada palavra. Das verdades impostas e dúvidas colocadas, me ensinaram a questionar e ir em busca da verdade mais pura. De todo o medo ao meu redor, a desenvolver a coragem e segurança de ir em direção ao desconhecido. Com as dores, desamores, perturbações e necessidades, a reconhecer a minha humanidade, tendo esperança e confiança nos processos da vida, ordenados por algo muito superior a mim e que está além da compreensão humana. Com as perdas e despreendimentos, me ensinaram a transformar o orgulho do ego em humildade e sua diferença em relação à humilhação.

Me ensinaram que conceitos, teorias, opiniões e crenças só tem validade quando expressos em atitudes e comportamentos. Que estas atitudes e comportamentos são legítimos quando vem do interior e então expressos no exterior, e não ao contrário.

Através da ansiedade, expectativas e projeções que colocaram em mim, desrespeitando meus ritmos e sendo punida por não corresponder ao que queriam de mim (mesmo quando não tinham certeza do que queriam), me ensinaram a ser mais compreensiva e ter muita paciência comigo mesma e com os outros, sendo assim iniciada na ciência da paz, respeitando o tempo e ritmo de cada um e cada coisa no universo, assim como os ciclos da vida. Aliás, sobre isso, me ensinaram que o tempo é um precioso mistério, assim como sua dinâmica cíclica.

E, especialmente como mulher, através do respeito aos meus ciclos, estão me ensinando a resgatar e viver as energias primordiais da natureza feminina e o necessário equilíbrio com o masculino.

Dia de Amar o seu Corpo


Dia de Amar Seu Corpo
       Sou fanática por uma boa causa e essa está chegando num momento muito importante da minha caminhada de auto-conhecimento.

O Love your Body Day é uma campanha idealizada pela NOW – National Organization for Women (Organização Nacional das Mulheres), com o intuito de alertar as mulheres da importância de encontrar sua própria beleza, ao invés de tentar se enquadrar nos padrões de beleza de revistas e das passarelas.

Este ano, em sua 12ª edição, o Love Your Body Day será celebrado em 21 de outubro. Popular nos Estados Unidos, ele repercute principalmente entre a comunidade de blogueiras e ativistas pelos direitos da mulher. O dia é um convite para a reflexão, para toda mulher parar um minuto e prestar atenção em qual beleza ela busca. A beleza impossível das capas de revista ou a beleza verdadeira, de um corpo saudável e uma pele bonita, mas que transpareça os anos vividos?

Vários artigos sobre o assunto podem ser acessados em http://duplamentevenusiana.blogspot.com/2009/10/blogagem-coletiva-dia-de-amar-seu-corpo.html

Nós e nós

Tudo somos nós.  Nada são nós.

Nós que construímos,  nós que destruímos.

Nós  evoluímos.

Nós que fazemos, nós que esquecemos, nós que desejamos.

Nós caminhamos.

Nós somos nós. Nós não são nós.

Aparência de nós. A ilusão dos nós.

Nós são nada.

Nós somos tudo.

Lísia, destrinchando nós, no equinócio de Primavera 2009.

Marcha Mundial pela Paz e Não-violência

logo_porEstamos em contagem regressiva para o maior movimento pela paz e não-violência que o mundo já viu. Começa dia 02 de outubro, na Nova Zelândia, percorre vários países até chegar em Porto Alegre, entre 24 e 26 dezembro, terminando em Punta del Vacas, dia 02 de janeiro. É recorde atrás de recorde, a começar pelo site que já é o com maior número de traduções no planeta. Confiram o clip com a música oficial no Brasil:

Encanto de sereia

Ensinos do mariemoja

Nas águas salgadas fui me banhar.

Perfume ofertar

Para a Rainha encantar

Encantou-me, o canto da sereia.

Em cada canto. Cantos em mim.

Ressoando seus cantos

Lavou-me,

Vibrando, queimando, transmutando

Chorando, rindo, limpando

O sangue, a célula, o corpo

O pensamento e o sentimento

O olhar, falar e respirar.

Em cada canto do ser,

O encanto da sereia

Nas águas do mar.

Lísia – Florianópolis, julho/09

Eles são loucos e eu é que faço terapia

Obs: depois de escrever este texto, li “Louco” de Khalil Gibran. Fica aí a dica!AutumnStory

 Tenho percebido com intensidade nos últimos dois meses que minha sanidade é tão grande que preciso fazer força para conviver com diversos aspectos sociais que estão estabelecidos. Ou simplesmente não consigo me ajustar mesmo.

 Tenho momentos de tanta lucidez que chego a ficar emocionalmente desequilibrada, angustiada e frustrada com a quantidade de preconceitos e julgamentos vindos das mais diversas formas, ao expressar as verdades que em mim latejam. Sim, já fui e sou punida por colocar o que há de melhor em mim para fora.

 Sinto muitas pessoas ao meu redor viverem a loucura como “normalidade”. Se dizem loucas, e são mesmo, agindo de forma politicamente correta, freqüentando lugares normais, se alimentando com o de sempre, lendo o que está em voga, comprando o que a mídia divulga…

 E é eu que acabo fazendo terapia para conviver com dignidade, respeito e harmonia com toda esta loucura. Junto, a maturidade está me ensinando a lidar com o que sou, com os dons que tenho, refinando as habilidades para me manifestar com tranqüilidade e sabedoria.

No mês do Portal 8:8 de Leão, a coragem

leaoaguia1A palavra coragem ressoou no meu ser durante todo o mês de agosto. Os conceitos sobre esta virtude ecoaram na mente, no coração, em cada célula.

A decisão de estar na realidade, de viver a verdade do ser superior, exige coragem. Imensa energia de coragem é necessária para voltar para dentro de si e ir em busca da própria luz. Simples é se beneficiar da luz do outro. Imensa coragem é preciso para entrar na própria sombra e lá encontrar suas feridas para serem curadas. Fácil é ignorá-las ou entender que aquilo não é seu.

É uma virtude de personalidades heróicas, reconhecida nos verdadeiros guerreiros, mas tão desvirtuada pelas ideologias que estão aí. Confunde-se coragem com atos de violência. Grupos reconhecem a coragem no vandalismo. Outros acreditam que ao fazer críticas e fofocas, estão tendo a coragem de dizer a “verdade” sobre os outros. A prática do preconceito, do desamor, da opressão, da humilhação, da destruição…. frutos da fraqueza disfarçada de coragem.

Desafio estes “corajosos” a brincarem como uma criança num parque público. A estenderem a mão para um desconhecido, a falar olhando nos olhos de um estranho. A não entrar “na onda” de outras pessoas e seguir sua própria orientação interior. A ter comprometimento com sua essência e exercer seus talentos. A expressar sua alegria, sua tristeza, sua dor e seu amor, em toda sua intensidade. E assim a coragem vai indo para o seu devido lugar.

Bem-vindo mês de Agosto!

Ao contrário dos outros anos, estou feliz com a chegada do mês de agosto! Costumava fazer cara feia já no dia 31 de julho: “bah, amanhã começa o mês do cachorro louco…”. Meio perdida no tempo e espaço, fui me dar conta do dia 01 de agosto lá pela sua metade e, para ressignificar esse preconceito com este período do ano, decidi que a partir de 2009 seria um ótimo mês. Algo do tipo, “pare de resmungar e junte-se ao cachorro louco” ou “vai, enlouquece o cachorro”. E tá sendo bem legal! Mudar o ponto de vista confirma que a real mudança é a interior.

Quanto as atualizações do blog, a sessão Escrevendo foi atualizada com “Te entrega”, Diante de Pai Oxalá” e “Corre mão!”. Foram adicionados diversos links de sites e blogs, das mais diversas temáticas, mas com algo em comum: são mantidos por pessoas muito, muito, muito especiais! é a diversidade de dons e habilidades do meu povo!

E com a utilização do Twitter ( http://twitter.com/Lisia_Beck ) nas últimas semanas, me inspirei para colocar algumas idéias na sessão “Pérolas”.

Um ótimo mês de agosto para todos também!

Deixando fluir

Tua luz refletindo a minha. As essências se iluminando. Que mais dizer?! Deixa fluir…

Pôr-do-sol no Guaíba, POA/RS

Pôr-do-sol no Guaíba, POA/RS

 Essa foto, tirada pela mana Luciane, pra mim significa o momento de coroamento do encontro “Deixando fluir” para troca de Reiki, que realizamos no sábado, 11 de julho, na Usina do Gasômetro. Sob o céu de São Miguel e a luz dourada de Oxum refletida no rio.

Atualizações no “Escrevendo”

Ainda vou conseguir escrever um texto “racional” para partilhar as experiências que vivi nos últimos meses, as aprendizagens e outras “fichas” que estão caindo. No momento, a melhor forma que disponho para expressar e registrar essas informações e sensações são os versos. 

Atualizei a página “Escrevendo” com Milagre da gratidão na dor” eNos braços do desconhecido”.

Origem de Lisflor

É um trocadilho de “Flor-de-lis”, símbolo que carreguei do lado esquerdo do peito nos 12 anos de Escotismo e que hoje, não usando mais uniforme, ficou marcado no meu coração. Tenho muita admiração por esta flor da realeza que cruzou mares apontando o norte nas antigas cartas náuticas, e que Baden-Powell utilizou para mostrar um sentido, uma direção para os jovens. Originalmente, representa com suas três pétalas, a fé, a sabedoria e o valor. A expressão “sigo trilhando…”, título do meu antigo blog, foi inspirada a partir de uma interpretação da canção popular afro “Siahamba” que poderia significar “sigo marchando na luz de Deus”. É uma afirmação de confiança e entrega para a vida.